domingo, 22 de maio de 2016

Macaron A5 na prática: argolas estreitas, o tamanho A5 e a troca do grampo de fichário

Estou meio ausente do blog nos últimos meses, mas tenho muitas coisas legais pra contar. Primeiro, preciso fazer um relato que pode ajudar a pensar sobre o tamanho perfeito pro seu planner argolado.

Eu comprei meu planner A5 e estava muito feliz, mas desde o começo eu identifiquei alguns problemas. Entre os planners lovers existe a dificuldade em encontrar o tamanho perfeito, é quase como descobrir quem veio primeiro, o ovo ou a galinha. É dito que o A5 é muito grande e pesado para levar na bolsa, mas alguns dizem que dá pra levar. O personal tem folhas menores, mas é melhor pra transportar. Já o pocket é do tamanho de uma carteira, as folhas são pequenas e o uso é um mistério para a minha pessoa, parece que funciona mais como agenda e lista de tarefas, com um segundo planner que fica em casa.
Algumas marcas são conhecidas por qualidade e maior capacidade de folhas, outras nem tanto. As chinesinhas tipo Macaron, como a que eu comprei, são conhecidas por terem anéis estreitos, com algumas exceções.
Essas foram as coisas que eu ignorei/desconhecia/não compreendia. Uma droga a vida. Eu já tinha falado sobre algumas coisas quando ela chegou, mas o uso me deu outras idéias para uso e outras dificuldades.


Quais problemas tive com o meu argolado tipo Macaron A5?
1- A dimensão das argolas. Eu nunca pensei nisso, até entrar num grupo de planners e ver uma moça comentando que as argolas do planner Macaron eram estreitas.O meu não havia chegado ainda, então corri ao anúncio e notei que não havia nada sobre o tamanho das argolas, ai já percebi que omitiram por não ter argolas de um tamanho legal. Quando chegou constatei que as argolas tinham apenas 1,5 de diametro, o meu A6 da Maiofax tinha 2,5 de diâmetro e eu achava pouco, como faria isso funcionar? Eu tentei de todas as formas emagrecer meu planner sem mexer nas abas, mantendo apenas o mês corrente em uma página (adeus, insert semanal perfeito...), um planejamento mensal de uma folha para todos os meses do ano e apenas uma folha de telefones (só os que preciso em caso de urgência e sem bateria no celular), tirei folhas de contas a pagar de meses que passaram, mantive poucas folhas em branco. Mesmo assim tinha de pensar bem em como abrir e fechar os anéis, que cuspia folhas quando eu abria e eu saia na mão com o planner na hora de fechar a agenda.
Obs: Eu tenho muita coisa pra controlar e sou esquecida, acredito que uma pessoa com poucas áreas pra controlar ou com uma memória melhor possa se organizar com esse argolado de 1,5 de diâmetro. Analise honestamente qual é o seu caso.


2- O botão e a alça de fechamento. Mesmo se eu trocasse as argolas, teria problemas. A aba de fechamento, com botão de pressão, estava justa e não fecharia com mais folhas, seria necessário fazer uma segunda casa na frente, mas próxima da lateral, e conviver com uma casa vazia. Oh Good!
3- A lombada lateral estreita. O planner foi feito para aquelas argolas pequenas, estaria no limite de uma argola de 2,5 de diâmetro, Existia a possibilidade de trocar o grampo com os anéis e ele deformar a arte de dentro da capa.
Apesar de tudo isso, me enchi de coragem e pedi ao meu marido que levasse a agenda argolada no sapateiro e ele fez a troca do grampo e o botão. Notei que ele teve de abrir a costura em cima, na lombada lateral, mas refez a costura e ficou bom. Estou pensando em o que fazer com a casa do botão que ficou fazia, ele não tinha botões iguais e ficou diferente. Um horror pra quem gosta de tudo certinho e combinando. Se ele tivesse me falado, eu sairia pra comprar um botão igual ou semelhando. Quando fui colocar as folhas, outro problema: com os aneis mais largos, as folhas avançaram para a lateral e não caberia as abas das divisórias e o pen holder. Lá fui eu mexer nas divisórias.
4- O tamanho A5. Em algumas bolsas o argolado não cabia, em outras entrava mas não dava pra fechar em outras, acabei com apenas 2 bolsas que realmente dava pra levar.  Tinha de pensar em o que levar, pois as coisas já não cabiam com a mesma facilidade. O tamanho era a vantagem, mas na prática, para levar na bolsa, virou desvantagem. Era inviável usar como carteira.
5- O peso. Andei com ela um mês e reajustei todas as minhas coisas pra andar com a agenda maior na bolsa. Passei a deixar a necessaire no trabalho e coloquei uma sombrinha mais vagaba e leve na bolsa. O peso quebrou uma bolsa mais frágil que eu tinha. Comecei a sentir dores no ombro e pescoço, pois ando com bolsa de lado e mesmo revesando eu sentia o peso. Fiquei uns 5 dias sem andar com a agenda, pois foram dois dias pro marido levar (leia-se: ele esqueceu por 2 dias), a agenda ficou 2 dias lá na espera e mais um dia, pois o marido esqueceu do botão. Nesses 5 dias, passaram as dores nos ombros.
Obs: Eu não estou acostumada a levar cadernos universitários, uso apenas bolsas de carregar no ombro e vou e volto do trabalho de transporte publico. Se você trabalha em casa ou já está acostumada a levar cadernos grandes e anda de mochila, pode não sentir dificuldade com o tamanho e o peso. Talvez essa seja a diferença com quem consegue levar uma A5 e eu.
Até parece que ela é totalmente ruim, mas os comentários que fiz sobre ela quando recebi eram todos verdadeiros, sem a experiência de uso. A cor é linda, tem bolsos pra cartões, que eu amo, o material é bom, a costura está perfeita e o tamanho das folhas é muito bom pra escrever! Eu gosto muito dela, mas pra mim não é pratica pra levar diariamente.
Acabei voltando para a Maiofax A6 e ao pensar com os problemas dela, entendi qual era meu problema: eu estava centralizando tudo em um único lugar, Não que seja um problema centralizar, pelo contrário. é mais fácil pra se achar. Mas quem tem muita coisa para gerenciar não vai conseguir fazer tudo em um único lugar, nem mesmo usando um grampo grande de pasta A-Z, pois não tem como algo ser grande pra escrever, caber tudo o que você precisa e ainda ser leve pra transportar.

No próximo post vou falar sobre como tenho usado os dois planners.


Até a próxima!